História

Por Heldo Pessoa

arez01
O cacique jacumaúma juntamente com um grupo de Índios, por motivo de discórdia, resolveram deixar o aldeamento em Papary ( hoje, Nísia Floresta ) e saíram em busca de novas terras. Jacumaúma e seus comandados chegaram as margens do Rio Jacu, denominada de Irimuá, local onde se encontra, atualmente, a Usina Estivas. Nesse local fixaram sua aldeia, desta forma, dando início a primeira comunidade da futura vila de Arez. Existiram outras Aldeias no município, foram elas: ARANUN, à margem da lagoa do mesmo nome e GUARAÍRAS que ficava no largo da Matriz. Ambas formadas por índios de origem TUPY. Os Portugueses foram os primeiros homens brancos a morar em Arez. Os Holandeses fortificaram na ilha do flamengo nome batizado por eles, localizadas na lagoa de Guaraíras. Os mesmo resistiram aos ataques portugueses até o ano de 1652 quando derrotados e expulsos.

“…. O nosso município foi criado no período colonial pelo Alvará de 08 de maio e Carta Régia de 14 de setembro de 1758, com instalação em 15 de junho 1760, sendo suprimida pela resolução da Assembléia Geral legislativa de 7 de agosto de 1832, que elevando a povoação de Goianinha à categoria de Vila, incorporou a ex-vila de Arez ao seu território, para onde foi transferido documentos municipais e o cartório. A Resolução Provincial nº. 318, de 17 de agosto de 1855 restaurou o município de Arez; dois anos depois, novamente voltou a ser incorporado ao município de Goianinha, em 15 de janeiro de 1862, pela Lei Provincial nº. 558. A Lei Provincial nº 519, de 16 de dezembro de 1854, desmembrou o ex-municipio de Arez do de Goianinha e o incorporou ao de Papary. Outra Lei Provincial nº 778, de 11 de dezembro de 1876, restaurou o município de Arez, desmembrando-o do município de Papary….

BARBALHO,Claudionor Barroso. VILA DE AREZ  Alguns Fatos Históricos dos Séculos XVIII e XIX, publicação Gráfica São Francisco. 2005. páginas 27 e 28

O nome Arez foi batizado por portugueses que em época distantes habitaram a região. O nome foi uma forma encontrada por esses Lusitanos para homenagear a uma Vila, na região do Alentejo, localizada ao sul de Portugal, sendo hoje um Distrito Português em Nisa..

Em 1659, os Padres Jesuítas sob o comando do Padre Sebastião Figueiredo, iniciando, naquele ano a catequese dos índios da localidade.

Arez é localizado na microrregião do litoral Sul do Rio Grande do Norte com área de 116km2. ao norte limitando-se com os municípios de Nísia Floresta e São Jpsé de Mipibú; a leste, com Espírito Santo; ao sul Goianinha e Tibau do Sul e, a oeste, Senador Georgino Avelino. A sede do município está a 6º 11′ 40” de latitude Sul e 35º 09′ 37” de longitude oeste. Sua altitude e de 52 metros acima do nível do mar e a distância rodoviária da capital e de 58 km.

Ilha do Flamengo

A Ilha do Flamengo Fica ao lado oeste da Laguna de Guaraíras. A mesma foi batizada com esse nome pelos holandeses, também chamados de flamengos, que habitaram o local entre 1634 e 1652, Lá eles construindo uma fortificação, onde travaram com os Portugueses quatro batalhas: 1647, 1648 e 165. Finalmente, em 1652, o Capitão Antonio Dias Cardoso derrotou os holandeses. A Ilha mede 25.000 metros quadrados de terra (2,5 hectares).

Os moradores mais antigos do município falam da existência de um túnel subterrâneo com cinco quilômetros de extensão, o que vai da Ilha do Flamengo à igreja de São João Batista de Guarairas na sede do município. Supostamente o túnel serviria para facilitar a fuga dos holandeses dos freqüentes ataques dos portugueses. Acreditam ainda, haver tesouros escondidos no subterrâneo e em fantasmas das almas perdidas de índios, holandeses e portugueses mortos em combates e ali enterrados.

Pelourinho Pelourinho 

Pelourinho Pelourinho, ereto em 1760, quando da criação da Vila Nova de Arez. “…. Quando o Pelourinho era instalado na praça Publica, este simbolizava a presença do governo eleito pelo povo, com jurisdição de Juiz Ordinário, Almotacéis, dos alcaides, todos eleitos pelo povo…”

“…O Pelourinho significava ainda o lugar de defesa dos direitos dos cidadãos, de dirigir-se, governar-se e defender-se dos criminosos…”

“… O pelourinho só era instalado quando a Vila nascia, ou seja, era criada, geralmente construído em praça pública e instalado diante do povo reunido, onde meirinho ou escrivão lia à presença das autoridades a Carta Régia que autorizara a criação da vila e se fazia o pregão inicial. Em seguida o ouvidor proclamava: Está fundada a vila de…. Esta era a formalidade de praxe, ou ritual de instalação de uma vila….”  BARBALHO,Claudionor Barroso. VILA DE AREZ  Alguns Fatos Históricos dos Séculos XVIII e XIX, publicação Gráfica São Francisco. 2005. pág. 54.

Igreja São João Batista de Guaraíras

Igreja São João Batista de Guaraíras em Arez é considerada uma das mais antiga do Brasil. Foi construída pelos missionários portugueses da companhia de Jesus com ajuda dos índios e colonizadores. A construção levou longos 17 anos para ser concluída. Em 24 de junho de 1659, a igreja estava praticamente concluída, faltando apenas parte do piso superior e as torres.

Existe uma lenda no município de Arez, contada pelos seus moradores mais antigos, que fala da existência de um túnel subterrânea de cinco quilômetros, construído pelos holandeses. O mesmo começa da Igreja e vai até a Ilha do flamengo, localizada na lagoa de Guaraíras. O tal túnel foi construído para facilitar a fuga dos holandeses dos frequentes ataques dos Portugueses.

Canhão da Ilha

Canhão do Fortim da Ilha do Flamengo Peça bélica de artilharia pesada usada pelos holandeses nos anos de 1647, 1648, 1651 e 1652 em batalhas contra os portugueses. Quando da queda do fortim pelos portugueses na batalha de 1652 foi abandonado pelos holandeses na Ilha do Flamengo local onde as batalhas foram travadas.

Hoje se encontra em exposição na Praça Cívica Leônidas de Paula, no centro da  da cidade de Arez – RN.

Reis Magos

” Conjunto de imagens, tombado em 1962. Peças policromadas, entalhadas em madeiras pertencentes à Igreja Matriz de Arez e entronizadas no altar lateral esquerdo. Sua execução com sabor popular, provavelmente data do século XVII, reencarnada com a pintura ingênua do XIX.” Jeane Fonseca Leite Nesi.

Cemitério Público 

Cemitério Datado do século XIX. Foi Construído em 1882 pelo missionário capuchinho ” Frei Herculano “. O Estilo tem no Rococó um requinte de luxo sedutor. Não há outro modelo em todo o Nordeste do Brasil. Foi tombado em 23/08/1962 pelo instituto Histórico Nacional.

ALFREDO, João. ANOTAÇÕES SOBRE A História de Arez, publicação Editora Clima. 2000. pág.105

      “… Para a arquiteta Jeane Fonseca Nesi,  trata-se de um Frontispício Curvilíneo, emoldurado por cimalha e imitação de colunas da ordem corintia. As ditas colunas dividem simetricamente o frontão em cinco partes distintas.”…”

BARBALHO.Claudionor Barroso. VILA DE AREZ Alguns Fatos Históricos dos Séculos XVII e XIX. Edição Gráfica São Francisco. 2005. pág. 78

Os comentários estão desativados.